Cônsul geral visita Fernando de Noronha para celebrar histórica presença americana na ilha

O cônsul geral dos Estados Unidos no Recife, Richard Reiter, e uma equipe do consulado no Recife visitaram o arquipélago de Fernando de Noronha e participaram de evento em homenagem aos 60 anos da presença norte-americana em Noronha, que aconteceu durante Segunda Guerra Mundial, quando um Posto de Observação de Teleguiados foi instalado na Ilha. Como parte do programa, o consulado também fez a doação de 50 livros para a biblioteca pública local, uma contação de história para estudantes do livro “Green Eggs & Ham”, e a doação de 20 flautas para o programa de música da escola pública.

A historiadora Grazielle Rodriguez foi responsável pela escolha dos locais visitados, como a Baía do Sueste, onde se localizava a base da Marinha americana nos anos de 1944 e 1945; e Vila do Boldró, onde a Air Force teve uma base durante a Guerra Fria (1957-1962). Como a última base foi estabelecida no dia 13 de março de 1957, a visita do cônsul nos dias 13 e 14 de março marcaram a celebração dos 60 anos da presença americana no local. Neste mesmo mês também foi celebrado os 200 anos da Revolução Pernambucana de 1817, inspirada nas revoluções francesa e americana.

“Eu adorei minha visita ao arquipélago. Há anos que estive na em Noronha e fiquei encantado em ver que a beleza natural e a cordialidade e orgulho dos moradores em sua comunidade permanecem inalterados”, disse Richard Reiter. “O governo americano tem orgulho da nossa longa parceria com o arquipélago, remanescente da Segunda Guerra Mundial até a Guerra Fria, onde as bases foram estabelecidas para rastrear misseis guiados. E atualmente, quando trabalhamos juntos para trabalhar desafios ambientais. Nossa parceria continua evoluindo com a história, permanecendo forte e relevante”.