Declaração conjunta sobre Xinjiang

Departamento de Estado dos Estados Unidos
Comunicado de Imprensa
Gabinete do Porta-voz
22 de março de 2021

O texto da declaração a seguir foi divulgado pelos ministros das Relações Exteriores do Canadá e do Reino Unido, e pelo Secretário de Estado dos Estados Unidos

Início do texto:

Nós, ministros das Relações Exteriores do Canadá e do Reino Unido e o Secretário de Estado dos Estados Unidos, compartilhamos nossa preocupação profunda e constante em relação às violações dos direitos humanos e os abusos da China em Xinjiang. As evidências, inclusive nos documentos do próprio governo chinês, nas imagens de satélite e nos depoimentos de testemunhas oculares são impressionantes. O abrangente programa de repressão da China inclui: restrições severas às liberdades religiosas; a utilização de trabalho forçado; a detenção em massa em campos de internação; as esterilizações forçadas; e a destruição planejada da tradição dos uigures.

Hoje, nós tomamos medidas de ação coordenada, em paralelo com as medidas da União Europeia, que carregam uma mensagem clara sobre as violações dos direitos humanos e os abusos em Xinjiang. Estamos unidos para conclamar a China a que ponha um fim em suas práticas repressivas, contra muçulmanos uigures e membros de outros grupos de minorias étnicas e religiosas em Xinjiang, e que liberte àqueles que estão detidos arbitrariamente.

Nós ressaltamos a importância da transparência e da responsabilidade, e conclamamos a China a conceder acesso irrestrito à comunidade internacional, inclusive aos investigadores independentes das Nações Unidas, aos jornalistas e diplomatas estrangeiros, em Xinjiang.

Nós continuaremos a nos postar unidos para trazer à luz as violações dos direitos humanos na China. Nós nos postamos unidos e clamamos por justiça para aqueles que estão sofrendo em Xinjiang

Fim do texto.

 

Esta tradução é fornecida como cortesia e apenas o texto original em inglês deve ser considerado oficial.