Consulado Geral dos EUA em Recife

O Consulado Geral dos Estados Unidos em Recife irá suspender temporariamente os serviços regulares de emissão de visto e atendimento a cidadão americanos entre os dias 20 de junho e 12 de julho. Serviços emergenciais para cidadãos americanos irão permanecer funcionando. Neste período, cidadãos americanos que necessitem dos serviços regulares deverão se dirigir aos consulados em São Paulo, Porto Alegre ou Rio de Janeiro ou a embaixada em Brasilia. Os solicitantes de visto também deverão buscar atendimento em outros consulados durante este período. Leia mais.

200 anos

Estabelecido em 1815, o Consulado Geral dos Estados Unidos no Recife é o posto de representação diplomática americano mais antigo no Brasil. Este ano de 2015 marca os 200 anos de amizade e colaboração entre os Estados Unidos e a região Nordeste, uma data que está sendo celebrada em parceria com os brasileiros.

Os EUA têm mantido relações diplomáticas com a região Nordeste do Brasil por mais tempo que quase qualquer outro lugar do mundo. Desde a chegada do primeiro cônsul Samuel Voorhees, o Consulado atua em diversas áreas nos estados de Sergipe,  Alagoas,  Pernambuco,  Paraíba,  Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão.

Momentos Históricos

Em 1817, o segundo cônsul na região, Joseph Ray, apoiou publicamente revolucionários pernambucanos que buscavam a independência de Portugal, abrindo sua residência para líderes rebeldes como Antônio Gonçalves da Cruz “Cabugá”, que viajou aos EUA representando o governo provisório de Pernambuco em busca de apoio para a revolução.

Dois dos mais importantes diplomatas brasileiros foram nordestinos. O professor da Universidade Federal de Pernambuco, Marcos Antônio Araújo, um dos cinco diplomatas a negociar, em 1871, o Tratado de Washington; e Joaquim Nabuco, que se tornou o primeiro embaixador do Brasil nos Estados Unidos em 1905.

Talvez uma das mais importantes parcerias entre os EUA e o Brasil tenha acontecido durante a II Guerra Mundial, com a construção da Base de Parnamirim, em Natal. Cerca de cinco mil soldados americanos trabalharam e moraram na base aérea. A chegada dos norte-americanos acelerou o desenvolvimento e impactou a sociedade local. Na época, Natal era a única cidade do Brasil a ter um campo de beisebol – que existe até hoje!

Visitantes Famosos

O Nordeste já recebeu muitos visitantes norte-americanos importantes: em 1906, o Secretário de Estado Elihu Root visitou Recife para homenagear seu amigo Joaquim Nabuco; a primeira-dama Eleanor Roosevelt se encontrou com o Bispo de Natal Dom Marcelino Dantas e o General Gomes em 1944; em 1952, o Secretário de Estado Dean Acheson conheceu Recife; e cada vez mais as visitas de autoridades e de turistas americanos se tornam mais frequentes.

Olhando para o Futuro

No século XXI, os Estados Unidos e o Brasil priorizam cada vez mais o ensino de Inglês e o intercâmbio educacional. Em parceria com o Consulado, os três centros binacionais (São Luís, Fortaleza e Recife), em conjunto com American Corners e centros EducationUSA, formam uma rede de apoio para que mais jovens no Nordeste possam estudar nos EUA.

O crescente comércio bilateral também tem provocado uma contínua onda de viagens entre o Nordeste e os Estados Unidos. Em 2014, o Consulado emitiu quase 100 mil vistos, um aumento de mais de 16% em comparação ao ano anterior.  Nos últimos anos, além de ampliar o número de funcionários da seção de Vistos, o Consulado vem se expandindo com a abertura do departamento para Assuntos Político-Econômicos e do Serviço Comercial.