Consulado Geral dos EUA em Recife

Mais de 200 Anos

Estabelecido em 1815, o Consulado Geral dos Estados Unidos no Recife é o posto de representação diplomática dos EUA mais antigo no Brasil. Junto com os brasileiros, nos celebramos mais de 200 anos de amizade e colaboração entre os Estados Unidos e a região Nordeste. Os EUA têm mantido relações diplomáticas com a região Nordeste do Brasil por mais tempo que quase qualquer outro lugar do mundo. Desde a chegada do primeiro cônsul Samuel Voorhees, o Consulado dos EUA atua em diversas áreas nos estados de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão.

Momentos Históricos

Em 1817, o segundo cônsul na região, Joseph Ray, apoiou publicamente revolucionários pernambucanos que buscavam a independência de Portugal, abrindo sua residência para líderes rebeldes como Antônio Gonçalves da Cruz “Cabugá”, que viajou aos Estados Unidos representando o governo provisório de Pernambuco em busca de apoio para a revolução. Dois dos mais importantes diplomatas brasileiros foram nordestinos. O professor da Universidade Federal de Pernambuco, Marcos Antônio Araújo, um dos cinco diplomatas a negociar, em 1871, o Tratado de Washington entre os Estados Unidos e o Reino Unido e o recifense Joaquim Nabuco, que se tornou o primeiro embaixador do Brasil nos Estados Unidos em 1905.

Talvez uma das mais importantes parcerias entre os EUA e o Brasil tenha acontecido durante a II Guerra Mundial, com a construção da Base de Parnamirim, em Natal. Cerca de cinco mil soldados americanos trabalharam e moraram na base aérea. A chegada dos norte-americanos acelerou o desenvolvimento e impactou a sociedade local. Na época, Natal era a única cidade do Brasil a ter um campo de beisebol – que existe até hoje!

Visitantes Famosos

O Nordeste já recebeu muitos visitantes norte-americanos importantes: em 1906, o Secretário de Estado Elihu Root visitou Recife para homenagear seu amigo Joaquim Nabuco; a primeira-dama Eleanor Roosevelt se encontrou com o Bispo de Natal Dom Marcelino Dantas e o General Gomes em 1944; em 1952, o Secretário de Estado Dean Acheson conheceu Recife; e cada vez mais as visitas de autoridades e de turistas americanos se tornam mais frequentes.

Olhando para o Futuro

No século XXI, os Estados Unidos e o Brasil priorizam cada vez mais o ensino de Inglês e os programas de intercâmbio entre pessoas. Em parceria com o consulado, os centros binacionais de São Luís, Fortaleza e Recife, em conjunto com American Corners e centros EducationUSA, formam uma rede de apoio para que mais nordestinos possam estudar nos Estados Unidos e aumentar suas habilidades em língua inglesa. O crescente comércio bilateral também tem provocado uma contínua onda de viagens entre o Nordeste e os Estados Unidos. Nos últimos anos, além de ampliar o número de funcionários da seção de Vistos, o Consulado vem se expandindo com a abertura do departamento para assuntos Político-Econômicos e do Serviço Comercial.