Informativo: Assistência dos EUA ao Brasil no combate ao COVID-19

Atualizado 1 de maio de 2020 

Governo dos Estados Unidos

O governo dos EUA anunciou assistência para mitigar os impactos socioeconômicos e de saúde do COVID-19, totalizando mais de US $ 12,5 milhões (aproximadamente R $ 66 milhões). Esses fundos incluem:

  • Em 29 de maio de 2020, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) forneceu US$ 6 milhões em assistência humanitária ao Brasil para atividades emergenciais em saúde, água, saneamento e higiene e para mitigar os impactos da COVID-19 na saúde no Brasil
  • Em 27 de maio, o Comando Sul do Departamento de Defesa anunciou uma doação de US$ 45 mil em equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde e alimentos para a cidade de Manaus e na região amazônica.
  • Em 20 de maio, a USAID forneceu US$ 2 milhões em apoio a comunidades vulneráveis, com foco na região amazônica, para prevenir a transmissão, apoiar o tratamento e ajudar a mitigar os impactos do vírus na saúde. O Departamento de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado também viabilizou US$ 500 mil em apoio a migrantes e refugiados venezuelanos e as comunidades anfitriãs no Brasil.
  • Em 19 de maio, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) disponibilizaram US$ 3 milhões em recursos para fortalecer a detecção de casos, o rastreamento de contatos, a identificação de áreas de transmissão, o controle de surtos e as análises e relatórios de dados.
  • Em 1º de maio, a USAID forneceu US$ 950 mil em fundos de apoio econômico para incentivar investimentos do setor privado na mitigação dos impactos da COVID-19 nas populações rurais e urbanas vulneráveis no Brasil.
  • Em maio, os Estados Unidos também concederam pequenas doações no total de R $ 75.000 a 40 projetos liderados por ex-alunos de programas de intercâmbio do USG para combater o vírus em suas comunidades. Os projetos incluem o combate à desinformação da COVID-19 e o enfrentamento da violência doméstica durante os períodos de quarentena.
  • Além de financiar iniciativas no Brasil, o governo dos EUA comprometeu-se a fornecer 000 ventiladores para o povo do Brasil e já entregou 2 milhões de doses de hidroxicloroquina (HCQ) para disponibilizá-lo a profissionais médicos para uso profilático e para os infectados. um tratamento terapêutico. Veja esta Declaração Conjunta.
  • Os Estados Unidos e o Brasil permanecerão em estreita coordenação na luta compartilhada contra a pandemia do COVID-19 e a resposta regional em andamento para proteger a saúde pública, limitar ainda mais a disseminação do novo coronavírus, promover o desenvolvimento precoce de uma vacina e salvar vidas.

O Setor Privado dos Estados Unidos

  • O setor privado dos EUA no Brasil também ajudou ativamente o Brasil por meio de uma série de iniciativas, totalizando aproximadamente US $ 40,5 milhões (aproximadamente R $ 210 milhões). Trabalhamos por meio de parcerias estratégicas com a Câmara de Comércio Americana (Amcham), Mais Unidos, para ajudar a coordenar e canalizar essas iniciativas para ajudar aqueles que mais precisam.
  • Esses fundos também mobilizarão recursos do setor privado e incluirão microcréditos de baixo interesse para ajudar pequenas empresas a manter operações e empregos durante o próximo ano e treinamento para empregos que ajudem as famílias a manter sua renda.
  • Além das doações quantificáveis anunciadas por 30 das 70 empresas norte-americanas pesquisadas pela Missão dos EUA, outras divulgaram ações sem especificar valor monetário, como mudança de linha de produção, doação de licenças, créditos, produtos, treinamento e conhecimento para apoiar os brasileiros durante a pandemia.
  • Quatrocentas das quinhentas maiores empresas dos Estados Unidos estão no Brasil, muitas por várias décadas, compartilhando e desenvolvendo soluções para o Brasil e para o mundo.

Para obter a lista completa de empresas e iniciativas, visite os sites da Embaixada dos EUA, Amcham e Grupo +Unidos, bem como nosso Informativo: Assistência do setor privado dos EUA para mitigar os impactos da COVID-19 no Brasil .